O poeta asturiano Martín López-Vega [Poo de Llanes, 1975], que publicou recentemente ‘Gótico cantábrico’ [Madrid, La Bella Varsovia, 2017], publicará na Cosmorama A ETERNA QUALQUERCOISA, em edição bilingue — tradução de Jorge Melícias.
Martín López-Vega publicou vários livros de poesia, representados na antologia ‘Retrovisor’ [2013], a que se seguiu ‘La eterna cualquiercosa’ [2014]. Em 1997 foi publicado o livro de crónicas ‘Cartas portuguesas’ e, no mesmo ano, López-Vega foi incluído por Joaquim Manuel Magalhães na antologia ‘Poesia espanhola de agora’. Trabalhou como jornalista cultural, editor e livreiro. Assumiu recentemente a Direção de Cultura do Instituto Cervantes. Traduziu para espanhol, entre outros, Almeida Garrett, Eça de Queirós, Fernando Pessoa, Jorge de Sena, Eugénio de Andrade e Valter Hugo Mãe.