Em 2016, no contexto do cinquentenário da morte de António Pedro [1909-1966], a Cosmorama publicou a sua poesia da década de 20. Organizada no âmbito da atividade da Cátedra Poesia e Transcendência [UCP Porto], esta edição de Jorge Teixeira e José Rui Teixeira reúne os poemas de «Os Meus 7 Pecados-capitais» [1926], «Ledo encanto» [1927], «Distância» [1928], «Devagar» [1929] e «Diário» [1929], aos quais junta alguns inéditos e um posfácio de José Rui Teixeira: “António Pedro. Em mansamente dolorida ausência e uma saudade mansíssima: os primeiros 20 anos e a poesia dos anos 20”. Nesta edição fica, de algum modo, documentado esse tão subestimado património poético da década de 20 do qual António Pedro se foi esteticamente distanciando, mas que nunca renegou e sem o qual dificilmente compreenderemos o fundo sensível e desassossegado da sua condição de esteta.