Vejo passar a minha vida,
Como n’um grande cosmorama.

António Nobre

Destaques
  • Carta a mim mesmo

    O último dos cinco primeiros livros da biblioteca Equinócios é a 2.ª edição de Carta a mim mesmo‘, de Fernando de Castro Branco, com um prefácio de Luís Adriano Carlos e capa com ilustração de Joanna Concejo. Fernando de Castro Branco [1959] estudou na Faculdade de Letras da Universidade do Porto: Línguas e Literaturas Modernas […]

  • Véspera

    O quarto livro da biblioteca equinócios será mais uma estreia: ‘Véspera’, de José Pedro Angélico. Como nos outros cinco livros desta biblioteca, que serão publicados no outono de 2019, a capa guarda uma belíssima ilustração de Jonna Concejo. José Pedro Angélico [1983] estudou em Portugal, Irlanda e Espanha. É doutorado em teologia pela Universidad Pontificia […]

  • Razão poética

    O terceiro livro da biblioteca Equinócios, da Cosmorama, será a reedição de ‘Razão poética’, de Carlos Alberto Braga, poeta que nasceu em 1959 e é licenciado em Economia pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto. Razão poética reúne cinco livros de poesia: ‘As margens do murmúrio’ [1987], ‘Deriva litoral’ [1989], ‘As imperecíveis águas’ [1996] […]

  • Abandono

    O segundo livro da biblioteca Equinócios será Abandono, de Jorge Teixeira, poeta que nasceu no Porto, em 1981. É licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses [Faculdade de Letras da Universidade do Porto], e mestre em Estudos Editoriais [Universidade de Aveiro]. Cursou, ainda, Ciências Religiosas [Universidade Católica Portuguesa, Porto]. É professor do […]

  • A eterna qualquercoisa

    Em setembro serão publicados os cinco primeiros livros da nova biblioteca de poesia da Cosmorama: Equinócios, com ilustrações de Joanna Concejo. O primeiro será A eterna qualquercoisa de Martín López-Vega, que nasceu em Poo de Llanes [Astúrias], em 1975. Tradutor, crítico literário e gestor cultural, Martín López-Vega é licenciado em Filología Española [Universidad de Oviedo] […]

  • Hugo Mujica

    Em 2015, a Cosmorama publicou ‘Margens’, antologia da poesia de Hugo Mujica, que nasceu em Buenos Aires, em 1942. Estudou Belas-Artes, Filosofia, Antropologia Filosófica e Teologia. Esta multiplicidade de saberes perpassa uma obra que abarca a filosofia, a antropologia, a narrativa, a mística, a poesia e a indagação estética. A sua ‘Poesía Completa’, que reúne […]

  • Joanna Concejo

    No outono de 2019, a Cosmorama apresentará os primeiros cinco livros da biblioteca Equinócios: 01 | A eterna qualquercoisa | Martín López-Vega 02 | Abandono | Jorge Teixeira 03 | Razão poética | Carlos Alberto Braga 04 | Véspera | José Pedro Angélico 05 | Carta a mim mesmo | Fernando de Castro Branco Na […]

  • De reinvenção em reinvenção

    Inspirada nos versos de António Nobre: “Vejo passar a minha vida,/ Como num grande cosmorama”, a Cosmorama nasceu em 2004. Em 15 anos, este projeto vocacionado para edição de poesia, imprimiu quase cem livros. Nomes como os de Agustina Bessa-Luís, António Ramos Rosa, Ana Hatherly e Rui Nunes, coabitaram com os de jovens autores, que […]